27 de fev de 2011

LEIA UM TRECHO DA APRESENTAÇÃO DO LIVRO COEVOLUÇÃO

“O homem procura a todo o custo a sua humanização, harmonizar o mundo, a vida. Na imensidade de expressões que lhe são possíveis, o homem lança mão de uma – a Poesia, talvez a mais perfeita, porque acompanha e exalta o mesmo homem na busca de sua ascensão. Esta se confronta com luz crua e contraditória dos valores humanos, sintetizando seus mais altos momentos, em que a vida é criação, potência, pura virtualidade, catarse.
            A finalidade da Poesia é eminentemente social, mesmo quando a sua mensagem é pessimista. É social porque dá força ao homem e permite-lhe agir sobre o mundo. O poeta desenvolve todas as leis da imaginação, reivindicando toda a sua singularidade, partindo de coisas às vezes banais e particulares para se integrar concretamente no pensamento comum a todos os homens. Sob a égide da angústia ou da esperança, muitas vezes fundidas no poema, o que realmente importa ao poeta é cunhar a sua diferença, a originalidade do seu canto. Liberdade é a palavra mais cobiçada pelos poetas, talvez a condição vital e inevitável para que a poesia de fato aconteça.
(...)
Coevolução é um saboroso desafio feito a quatro mãos: saboroso porque atual, próprio do seu tempo e do que virá. Desafio, porque nos faz lembrar de todos os que nos antecederam – poetas e dias vividos. Porque nos obriga a vasculhar, a varrer, a olhar para dentro e para fora, para os lados e para o alto.  União de toques pós-modernos com o gosto nostálgico de uma soneca na rede... para depois nos obrigar a ir à luta!”

Natália Gomes Thimóteo (Profª Drª do Departamento de Letras da UNICENTRO)

0 comentários:

Postar um comentário